09 de agosto – Dia Internacional dos Povos Indígenas

Diferente da comemoração do dia 19 de abril, o Dia Internacional dos Povos Indígenas foi uma conquista dos próprios índios do mundo inteiro. Celebrado no dia 9 de agosto, a data rememora o dia em que um índio chegou pela primeira vez à sede da ONU, na Suíça, para reclamar seus direitos, sendo instituída em 1995. As populações indígenas ultrapassam a marca de mais de 370 milhões de pessoas e estão espalhadas por cerca de 70 países.

Tudo começou quando grupos indígenas começaram a se reunir em Genebra, com o objetivo de garantir seus direitos humanos, até ali marginalizados, e assegurar condições dignas de vida. Questões como os impactos sofridos pelos índios, o incentivo à preservação de sua cultura pelo mundo, bem como o patrimônio cultural e histórico dos povos aborígines foram amplamente discutidas. A partir disso, foi possível instituir a Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas. O Brasil também foi representado no movimento através de líderes indígenas presentes nos debates. Essa presença foi determinante para deixar claras as necessidades dos índios brasileiros, além de exigir o respeito a suas culturas, diferentes costumes, idiomas e ideias.

De acordo com o primeiro relatório sobre o Estado dos Povos Indígenas do Mundo, emitido pela ONU em janeiro de 2010, em muitos países os povos indígenas estão 600 vezes mais vulneráveis à tuberculose em relação ao resto da população. Já em outras localidades, a estimativa de vida de uma criança indígena é 20 anos menor do que outras crianças não indígenas. As estatísticas são alarmantes e independente da região em que se encontrem, do país de origem, do estado, da cidade ou da tribo à qual pertençam, os índios merecem respeito e dignidade.

Antes de ser uma celebração, o Dia Internacional dos Povos Indígenas deve reconhecer os desafios sofridos pelos índios até os dias atuais. Muito ainda deve ser feito para garantir condições adequadas de vida a esses povos. A pobreza, a violência, mas, principalmente, a discriminação devem ser amplamente combatidas. Há uma carga de muitos séculos de preconceito, extorsão e descaso que o povo indígena carrega sobre seus ombros. Mesmo alcançados pelo texto constitucional, a garantia de seus direitos, previstos em aproximadamente 46 artigos, parece muito longe da realidade fática. Em muitas sociedades, suas línguas, religiões e tradições culturais são estigmatizadas e rejeitadas.